Desvendando os Quadrinhos; de Scott McCloud ūüďĖ Leituras do Solari #195

Obrautiliza a linguagem dos quadrinhos para explicar a arte sequencial com perfeita integração entre texto e imagem
Um livro te√≥rico em quadrinhos sobre quadrinhos que traz uma vis√£o rica e criativa sobre como pensarmos a arte sequencial. Na verdade, √© um dos melhores livros te√≥ricos que j√° li. O quadrinista Scott McCloud ‚Äďque mant√©m um site bem ativo sobre as novidades no mundo das HQs alternativas (http://scottmccloud.com/)‚ÄĒse tornou uma refer√™ncia ap√≥s lan√ßar esta obra em 1993.

O grande trunfo de¬†Desvendando os Quadrinhos ¬†√© que a pr√≥pria obra √© um exemplo vivo das teorias que prop√Ķe. As imagens e textos funcionam de uma forma t√£o bem integrada que permitem a transmiss√£o de conceitos de uma forma extremamente simples. Imagine um livro te√≥rico sobre um tema dif√≠cil, mas que voc√™ vai recebendo exemplos explicativos assim que bate o olho na frase, ou neste caso, nos quadros.

McCloud inicia a sua jornada tra√ßando uma linha do tempo do desenvolvimento da arte sequencial. Por√©m ele vai muito al√©m do s√©culo 19, quando o quadrinho moderno come√ßou a aparecer de uma forma semelhante √† qual o compreendemos hoje, mas em murais eg√≠pcios, de povos pr√©-colombianos ou tape√ßarias medievais. Uma afirma√ß√£o interessante √© a de que a forma como os murais eg√≠pcios s√£o separados em livros sobre o tema n√£o permite que se enxergue a totalidade da hist√≥ria. √Č como vermos um frame de um filme ao inv√©s dele inteiro.

Desvendando os Quadrinhos¬†n√£o se at√©m apenas o quadrinho na realidade, pois muitas de suas considera√ß√Ķes podem ser extrapoladas para toda a comunica√ß√£o visual (particularmente as discuss√Ķes sobre abstra√ß√£o de imagens), ou at√© para o conceito geral de arte.

A aproxima√ß√£o da narrativa dos quadrinhos com o cinema (afinal n√£o √© o cinema quadros em movimento?) fez com que a obra tamb√©m se tornasse de interesse para cineastas e roteiristas. Em especial nos trechos sobre como o leitor ou espectador completa a narrativa com informa√ß√Ķes subentendidas na obra. Um exemplo √© uma cena no qual se v√™ um personagem prestes a golpear o outro com um martelo, e no pr√≥ximo quadro h√° apenas um grito e uma vis√£o a√©rea da cidade. √Č o leitor cria esse assassinato e o impacto √© at√© maior do que se o v√≠ssemos.

McCloud criou duas outras sequências. Desenhando Quadrinhos, que achei mediano, e Reinventando os Quadrinhos, que achei desnecessário. O primeiro lida com a parte mais técnica de criar quadrinhos, enquanto o segundo, mais especulativo, trata de como as novas mídias e modelos de distribuição de HQs podem modificar a arte sequencial.

Deixe um coment√°rio

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em coment√°rios s√£o processados.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: