Beyond the Aquila Rift, de Alastair Reynolds 📖 Leituras do Solari #166

Assistindo à série da Netflix Love, Death + Robots da Netflix eu me peguei achando algumas histórias muito familiares. Até que fui ver as origens dos roteiros, muitos de contistas de ficção científica que eu já acompanhava. E então tive a segunda surpresa de descobrir que os meus dois episódios favoritos, Zima Blue e Beyond the Aquila Rift, eram do mesmo autor Alastair Reynolds. Fui atrás do livro de contos dele que contém essa e mais 16 histórias.

Como todo livro de contos, eu gosto de antes de tudo ver os temas que eles têm em comum. Algumas histórias são em um universo compartilhado, mas eu gostei como o autor encontrou uma liberdade de mudar radicalmente o tipo de história que conta baseado na tecnologia disponível, que pode ir de um pós-apocalipse medieval até um futuro tão distante que a humanidade pode moldar planetas inteiros com o pensamento.

Alguns dos temas recorrentes são o encontro entre duas formas fundamentalmente alienígenas de pensar, o esquecimento das origens tanto da civilização como robôs que foram melhorados ao longo do tempo e não sabem de onde vieram, situações de primeiro contato com artefatos alienígenas ao estilo Arthur C. Clarke, artistas de artes que ainda não existem, a relação de arte com tecnologia e um equilíbrio interessante entre histórias de sci fi mais hard, com descrições de processos tecnológicos, com aquela tão avançada que se torna para nós indistinta da magia.

Abaixo algumas breves anotações que fiz de cada conto:

The Great Wall of Mars

Aparece pela primeira vez o tema de duas formas alienígenas de pensar, entre uma sociedade mais convencional como a nossa e outra de mente coletiva como uma colméia.

Weather

Novamente a ideia do encontro com o diferente, curiosa descrição de batalha em gravidade zero, primeiras indicações de um universo compartilhado entre os contos. E além do encontro entre duas formas de pensar, aqui vemos uma dependência. Uma tecnologia que só pode ser compreendida por uma mente coletiva.

Beyond the Aquila Rift

Meu conto favorito do livro, com uma forte sensação de isolamento. Um conto sobre infinitas formas de receber uma notícia inacreditável, de graus de transição de informação. De como se alguém te falasse de um terror absoluto para o qual você não está preparado, você ainda ia querer ver. Me lembrou o isolamento do Forever War, faz você se sentir mesmo em uma rachadura entre galáxias.

Minla’s Flowers

De boas intenções o inferno está cheio. Um viajante tenta ajudar uma civilização escapar de um planeta moribundo fornecendo tecnologias mais avançadas e dorme por algumas décadas, sendo que a cada vez que acorda vê como sua ajuda foi deturpada com objetivos cada vez mais perturbadores.

Zima Blue

Um conto sobre a natureza da arte, o sentido da vida e a obsessão. Um artista que cria imagens realistas de galáxias se torna cada vez mais obcecado com um tom em particular de azul. Me lembrou o Picasso em sua última fase, a busca de volta a algo mais simples e verdadeiro. É também sobre ser microambicioso, de como um trabalho simples e braçal bem feito pode ser mais importante do que preencher galáxias.

Fury

A ideia de um superimperador imortal modificado geneticamente me lembrou Duna, e tem o retorno da ideia de uma máquina consciente melhorada gradualmente que esqueceu sua origem, assim como a própria civilização humana, que não lembro onde a Terra inicial estava.

The Star Surgeon Apprentice

De novo o tema da perda de memória e história da civilização no espaço, e como a exploração pode levar para onde não esperamos.

The Sledgemaker’s Daughter

De novo o tema do esquecimento. Uma sociedade medieval pos-apocalíptica num inverno eterno, com indícios de que uma guerra profunda está acontecendo sem que eles saibam. Ideia da magia indistinta da tecnologia.

Diamond Dogs

Grupo de elite unido para investigar uma ruína alien, em uma situação de objeto alien encontrado ao estilo Arthur C. Clarke. Ideia da obsessão tão grande que você estaria disposto de dar seu corpo e sua identidade para alcançar algo. Conceitos matemáticos fascinantes. Só longo demais, acabou ficando um pouco entediante para mim.

Thousandth Night

O high-society do espaço milhões de anos no futuro. Humanos imortais que marcam festas e orgias a cada 120 mil anos. A humanidade colonizou toda a galáxia, tecnologias que permitem viver em estrelas, gigantes gasosos, em mares. O encontro é para os integrantes da linhagem trocarem memórias entre si; existem várias linhagens, que para todos os efeitos são deuses. Podem criar ou destruir mundos, viajar pelas extremidades da galáxia, viveram mais que algumas civilizações. É uma história sobre o endgame, o que a humanidade pode fazer quando eles já dominarem tudo que existe para ser dominado, mas ainda assim encontram leis físicas que impedem o seu avanço.

Troika

Versão russo-soviética de uma história de primeiro contato, com um objeto alienígena passando no sistema solar e sendo explorado por astronautas. E as inconvenientes consequências políticas que a verdade científica pode trazer.

Sleepover

Ricaço é acordado da criogenia depois de 100 anos, mundo não é como ele espera, queria a imortalidade, encontrou trabalho manual. A humanidade inteira, bilhões congelados em uma guerra contra um oponente invisível que mostra que a realidade pode ser inconcebivelmente mais complexa do que achamos.

Vainglory

De novo uma história de um artista de uma arte que ainda não temos tecnologia para fazer: esculpir asteroides inteiros. Interessante conceito de artes especuladas, e que lembra como as nossas próprias artes dependem da tecnologia. Cinema, pintura requer tinta e pincéis, até as histórias requerem a linguagem.

Trauma pod

Um conto sobre como tratar de alucinações, quando justamente é o seu cérebro que está doente. Descrições interessantes sobre mudanças na percepção corporal.

The Last Log of the Lacrimosa

Encontrando uma nave abandonada, conto com uma atmosfera de medo e isolamento muito grande. Ideia de que o que parece ser o seu inimigo, pode ser alguém contendo um inimigo ainda maior.

The Water Thief

Ambientado em realidade virtual e em um campo de refugiados na África. Curioso conto da gig economy remoto, como os atuais trabalhos por aplicativos. Sobre ajudar alguém mesmo quando a sua própria situação é desesperada.

The Old Man and the Martian Sea

A arte de manter uma parte da história de marte viva. Sobre como todo progresso de algo, é decadência de outra coisa. Quando vc ganha algo com progresso, você necessariamente perde algo também. Com tantos contos sobre o esquecimento das origens, esse é sobre a importância de lembrar.

In Babelsberg

Poderia ser chamado de Zima Blue 2. De novo um artista de sucesso cansado do sucesso vazio, neste caso um explorador do cosmo, mas também sobre até onde se está disposto a ir pela arte.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: